Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

Fado!

Há um fado só e triste no meu coração

Que não sabe cantar as minhas dores

Foge e esvai-se por entre a minha mão,

Como água fria entre sonhos e amores.  

 

Há um fado só e triste na minha vida

Que deseja ser força, amor e canção.

Dor pra ser cantada, chorada, sofrida.

Num fado tangido por uma emoção.

 

Há um fado nos meus lábios a bailar

Conta histórias de amores perdidos.

Não sei o que ele quererá ora falar,

Talvez um assomo de olhos sofridos.

 

Há um fado há, neste tempo triste,

Contam-me que sou o poeta da dor.

Porque escrevo assim, tu já me viste,

A escrever, a ler e a chorar por amor!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.