Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

Escrito na pedra!

Resposta a este desafio da Ana

Todas as manhãs subia a escadaria que o levava à rua de cima evitando ter de dar uma volta enorme com o carro. O empedrado da escada alternava entre o preto do basalto e o branco do calcário. Nos intervalos algum musgo alimentado pelas últimas chuvas. Aqui e ali umas beatas já debotadas.

À tarde descia as mesmas escadas num passo rápido. Nas paredes inscrições amorosas ou grafittis indecifráveis. Noutras alguns slogans políticos já em desuso e descoloridos.

Por vezes passava sem ligar outras lia e ria.

Naquela tarde, contudo, havia uma cercadura onde as pedras estavam levantadas mesmo no centro da escadaria obrigando-o a desviar-se do seu costumado trilho. Durante dias assim esteve aquele impedimento.

Na semana seguinte quando voltou a subir reparou que finalmente a vedação fora retirada notando-se ainda alguma areia no chão oriundo da reparação. Mas desta vez ao passar por cima reparou que uma das pedras tinha uma inscrição. Baixou-se e leu: “Queres casar comigo”

Assim mesmo sem ponto de interrogação. Esboçou um sorriso e quando se ergueu, pensou:

- Quem se terá dado ao trabalho de mandar colocar esta pedra com este pedido de casamento?

Continuou a subir as escadas enquanto imaginava o que diria a sua namorada quando lhe contasse. Havia tempos que ela se insinuava com o casamento, mas ele achava que ainda não seria a altura. Mas se ela tivesse tido uma iniciativa destas… não poderia recusar!

Chegado finalmente ao cimo da larga escadaria deu de caras com a namorada. Espantado com a presença da jovem esta foi directa:

- Sim ou não?

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.