Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

Contos tontos! - 4

Ela olhou-o gulosa. Era uma mania, ela sabia, aquela tentação por homens mais velhos. Mas nunca evitava um olhar frontal.

No entanto este fora diferente... Muitos, quando ela os olhava assim de frente, fugiam com o olhar chegando mesmo a corar. Mas aquele...

Aceitara o olhar como se fosse a recompensa de alguma coisa que nem ele sabia. Mas ao mesmo tempo sentiu o peso do seu olhar adversário e foi a vez dela fugir ao confronto.

Na esplanada apenas eles os dois, em campos opostos!

Ela levantou-se serenamente e foi-se sentar na mesa dele, no lugar defronte. Ele, após a devolução do ataque visual, embrenhou-se no jornal.

- Boa tarde sou a Mónica!

Ele atirou-lhe novo olhar que ela temeu. Mas não desistiu:

- Porque me olha assim... dessa forma tão fria e distante!

Calmamente dobrou o jornal, levantou-se do lugar e antes de sair, perguntou :

- Sabe o que é o amor? Calculo que não!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.