Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.



Sexta-feira, 15.05.15

Contos tontos! - 2

O carro seguia dentro dos limites, na auto-estrada. Ele conduzia e pensava, ela dormia profundamente.

O alcatrão negro desenrolava-se à frente tal qual um manto. E a viatura consumia quilómetros.

Entretanto o espírito dele viajou para um passado tão longínquo que quase não acreditou que tivesse existido.

As festas, as brincadeiras, as amigas e os amigos, as partidas aos colegas... Esboçou um mero sorriso ao lembrar-se! Olhou para o lado, onde ela dormia. Vinda também do seu passado notou-lhe então os rasgos cravados na face, o pescoço quase flácido, os cabelos de cor cinza. Mas ainda era bonita... E como ele a amava...

Quanto tempo passara desde a última vez que ele lhe sussurara a palavra mágica. Perdera o conto.

Umas vezes por isto, outras por aquilo, acabaram por se afastar!

De súbito ele falou em tom sonoro:

- Amo-te!

Acordada subitamente pela palavra, perguntou:

- Disseste alguma coisa?

- Eu? Eu não... Devias ser tu a sonhar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por José da Xã às 23:22


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2015

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogues Importantes