Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.

Prosa/Poema para um fim de tarde

Daqui deste alto, tão alto que quase toco as estrelas,

Vejo ao fundo a linha de horizonte, ténue

Onde singelos pontos brancos tocam o céu.

 

Daqui deste alto, tão alto, que quase abraço a Lua,

Vejo alvas e serenas almofadas,

onde o sol, por fim, irá repousar.


Daqui deste alto, tão alto que quase me sinto voar

Vejo o condor, que em voos brandos e fatais,

Mira a sua presa perfeita e ingénua.


Daqui deste alto, tão alto que quase agarro o vento,

Vejo o verde da planície recortado por plúmbeos traços,

Alagar o vale de esperança primaveril.


Daqui deste alto, tão alto, há quem veja o mar,

Pode ser que sim…

Mas eu não sei o que é o mar!