Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.



Quarta-feira, 25.01.12

Saudade

Desbravo estas poucas palavras

Que elas matam as saudades de ti.

São folhas levadas pela brisa,

Repousando no teu terno regaço.

 

As tuas lembranças são-me tão caras

E os teus lábios sedosos tão fiéis.

Que os sinto quentes, fervorosos,

Como me tocassem neste instante.

 

Há no teu sorriso transparente

O fogo eterno da paixão bravia,

e do amor feroz que rasgámos,

em longas noites de lua cheia.

 

Quando sinto só, sei lembrar-te:

o olhar vivo, os lábios sedosos,

o corpo frágil, o cabelo em rebuliço

a vida envolta num pensamento.

 

Depois… depois quase feliz,

Respiro enfim, um ar perfumado…

É o vento que me traz o teu aroma…

A mar…e amar a terra fecunda…

Autoria e outros dados (tags, etc)

por José da Xã às 23:35


1 comentário

De Fátima Soares a 01.04.2012 às 17:29

Bonito. Muito bonito. Tudo de bom. Espero que o Domingo esteja a correr bem e o regresso seja bom!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogues Importantes