Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

José da Xã

Escrever mesmo que a mão me doa.



Quinta-feira, 19.03.15

Ao meu pai!

Quantas palavras disseste que não escutei

Quantos conselhos deste que não segui,

Quantos ensinamentos que eu esqueci.

Quantas coisas quiseste que não dei.

 

Ser meu pai não foi fácil, eu sei, eu sei!

Fui deveras duro, rebelde, inconstante,

E o passado que te proporcionei...

Não foi digno da tua vida errante.

 

Hoje sei o que vales para mim

Neste dia que agora também é meu

Tu és a ancora, a enxada, o sem-fim,

A noite fria, o dia quente, o anilado céu.

 

 

Também aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por José da Xã às 21:20


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogues Importantes